• galeria

    Olhai por nós

    Eu sou ateu, mas acendo uma vela todos dias para a Nossa Senhora do Home Office na esperança de receber essa graça. Quando ela se manifesta é uma coisa linda de se ver.

  • etc

    Ops, agora foi o SSL

    O certificado do site venceu e esqueci de renovar, doh. Pensa no minienfarto que foi quando abri e vi tudo quebrado, achei que tinha sido algum outro plugin que deu pau.

  • ferramentas

    Jisuis que sufoco

    Fui instalar um plugin para publicar também no tumblr e conseguir implodir não só o blog como também todos os sites auxiliares que ficam no meu domínio. Vai mexer com quem tá quieto… Ainda bem que deu pra recuperar. Vou postar automático só no Mastodon mesmo porque funcionou bonitinho e não explodiu nada, e tá bom demais.

    E claro, preciso dar um jeito de fazer um backup disso tudo aqui. Se eu perder as postagens vou ficar de mau humor pelo menos metade do ano.

  • etc

    Testando 3, 4

    Se tudo der certo, esse post vai tanto para o Mastodon quanto o tumblr. Aproveitei para criar uma categoria nova para agrupar tudo que é água que eu soltar por aqui, nem sempre dá para agrupar certinho dentro de um tema.

  • reflexões

    Cala a boca, passarinho!

    Revendo os arquivos do meu antigo blog eu notei que o twitter acabou virando o lugar principal das postagens, tomando o lugar daquela vontade que eu tinha de escrever por aqui. E hoje eu entendi o que aconteceu.

    O twitter era prático, e não dava margem para gastar muito tempo pensando. Eram 140 caracteres e só, então a pressão de escrever o mínimo possível sempre rolava. No blog eu colocava o que dava na telha, sem me preocupar com o tamanho do texto: podia ser uma frase ou uma resenha inteira de um álbum do Flaming Lips. Isso tornava mais fácil entrar num fluxo de produção constante, onde o importante era só escrever sem me importar se alguém ia ler ou não. Só queria despejar o que estava construindo dentro da minha cabeça.

    E isso me leva a outra questão do twitter, que o fato de ser uma rede social. Interações virtuais viciam, é muito legal ver pontinhos subindo ou ver que alguém gostou do que você escreveu, e querendo ou não você acaba perseguindo essa pontuação virtual – que acaba, de certo modo, virando um parâmetro para você julgar a qualidade do que você escreveu. Para quem escreve por hobby é um inferno, se sentir mal porque algo que você pesquisou e escreveu com paixão não ganhou um likezinho sequer.

    Por isso, sair do twitter tem sido como um sopro de ar fresco. Posso voltar a escrever sem culpa, sem me preocupar se alguém vai ler ou não, e sem as restrições de espaço que me forçavam a abandonar tudo no meio de uma ideia. E vai, às vezes é bom simplesmente falar sozinho também.

    Agora o cuidado é evitar uma recaída. Entrei no Mastodon, e ainda tenho conta no Instagram (apesar de não usar tanto esse último), e para evitar o risco de me acomodar com formatos reduzidos instalei um plugin por aqui que manda as postagens daqui também para o Mastodon. Assim continuo a escrever o que eu quiser, e mato a vontade de participar nessas redes sociais que brigam pela atenção se me comprometer muito com elas. Devo fazer a mesma coisa com o tumblr, eu gostava das ferramentas de escrita e gestão de site de lá.

    Vamos ver no que dá.

  • música,  séries

    Motosserra!

    Se tem uma coisa que eu gosto de anime é que eles não têm medo de ser ridículo nem bizarro, e metem a cara pra soltar isso aqui:

    Chainsaw Man!

    O demônio motosserra que só sonha em ganhar um beijo e comer pão com geleia. E que no meio do caminho trucida tudo que for demônio que entrar na frente. Além da animação ser boa pra cacete (feita pelo estúdio Mappa, o mesmo que fez Dorohedoro. Aliás, vai ver esse também) e eu adorar a história, fiquei viciado na música de abertura.

  • música

    Cantando em japonês

    Yoyoyokatawarashinganmatatsekutdaisa Baaaaabyyy

    I love you kiremasaitakinakanotachikureatamaisarabatsu yeah

    Awatataratayoyomakakonnichiwa baby sumimasenonekodesukata

    Yeah Yeah Love you baby!

  • reflexões

    Só digo uma verdade

    O infeliz que inventou o formato webp merece ficar ajoelhado no milho por duas horas levando 50 chibatadas. E quem trabalha na Microsoft e não implementa a visão de miniatura dessa praga no Windows Explorer também merece.

  • reflexões

    Testando 1, 2

    Depois do fiasco do Elon Musk avacalhando com o twitter e deixando as postagens de nazistas e da extrema-direita comer soltas eu resolvi abandonar aquele pardieiro e cair de cabeça no Mastodon, que é quase como um twiter no início dos tempos. Tá legal a parada, e é mais fácil achar interesses como ilustrações e animações sem ser bombardeado por mensagens bizarras que não tinha nada a ver com o que eu quero acompanhar na internet. O lado ruim é que nem todos os artistas que eu gosto estão lá, então continuo compensando essa falta com o Instagram.

    Agora o plano é arrumar a casa para postar automaticamente no Mastodon tudo que eu escrever aqui, o que vai me ajudar a criar vergonha na cara e atualizar o site com mais frequência.

    Tem também o tal do Koo, que testei mas não gostei. Fui mais com a cara do elefante, mas para proteger meu Koo e também o twitter não vou apagar as contas: elas vão ficar lá enquanto deixarem, ocupando meu nome de usuário. E vai que as coisas melhoram, a Microsoft compra tudo e faz uma mega rede social nova? Já vou ter meu canto no Koowittodon.

  • música

    Duas da manhã

    Atualmente viciado nisso aqui:

    I lost myself again, I just need time to mend
    Some quiet and some care, some time to repair
    Would you be my guide? Take me by my side
    Make me up a bed, forget the things I said
    I lost myself again, I just need time to mend
    Some quiet and some care, some time to repair
    Make me up a bed, forget the things I said
    The things I said then
    At 2am, at 2am