Microsoft’s Windows 10 Fall Creators Update

Não é um nome que rola fácil da língua mas, caramba, se não é um bom update. Um monte de sites e blogues já cantaram as maravilhas dessa nova versão do Windows mas eu solto fogos por causa de duas coisas:

  1. Ubuntu no Windows! Nunca mais preciso instalar WAMP, XAMPP ou VMware para rodar um stack LAMP! Isso é coisa linda de Deus, poder editar imagens no Photoshop, atualizar o código no Dreamweaver (não me julguem),  e testar tudo no Edge (yep, Edge) sem ficar murrinhando memória para a máquina virtual ou instalando gambiarras.
  2. Touch n’ grab global! Esquece o que eu disse antes, ISSO sim é coisa linda de Deus. Para quem usa mesas digitalizadoras, é uma mão na roda poder usar a caneta como se fosse um dedo interagindo com uma tela touch screen. Para apegados como eu, que ainda usa um jurássico Graphire 3 de 2004, é como ter um tablete com touch.

Minha única decepção foi não ter visto uma implementação completa do Fluent Design System no Windows. Ok, tem uns apps e talz como a calculadora e o Groove, que são programas que quase ninguém usa com a mesma frequência de um e-mail ou calendário, mas ainda assim irrita ver que o sistema carrega carunchos que parecem ter saído do Windows 95. Olha isso aqui:

Pensando bem, vai que é para agradar os hipsters de polaroid. Deve ser mais raiz conectar via linha discada do que usar essas conexões coxinhas de 100 megas.