Trabalhando com o Subsistema Linux do Windows… ou não

Cantei as maravilhas do WSL nos posts anteriores sem saber que o universo estava olhando. A verdade é que o subsistema funciona muito bem… quando funciona.

No tutorial anterior eu instalei o LAMP chamando o pacote lamp-server em vez de instalar individualmente os pacotes apache2 e mySQL. Por quê? Porque, por algum motivo do qual a razão objetiva desconhece completamente, o mySQL se recusa a funcionar quando instalado, reclamando ser impossível conectar aos socks, e nenhuma quantidade de ajustes no hosts, nas configurações nem reinstalações resolvia o problema. Estranhamente, quando instalado pelo pacote lamp ele funcionou sem reclamar.

Problema resolvido! Ativei os serviços, trabalhei, fechei o WSL e fui dormir. No outro dia ativei de o novo o WSL, chamei de novo os serviços… e agora o apache não liga.

Edito o config, reinstalo os serviços, procuro no Stack Overflow, olho pro deadline… E abro o VMWare player para finalizar tudo na máquina virtual do Linux mesmo.

A experiência com o WSL foi de 100 a 0 em menos de dois dias. Ainda não desisti completamente, e vou continuar testado até conseguir resultados mais consistentes mas, até lá, vou virtualizando.